Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘animo’

Quem nunca sentiu uma dor tão grande e tão profunda que já não tenha pronunciado a frase:

– “Doeu tanto que fiquei paralisado, ou a dor era tão grande que nem doeu, ou ainda, doeu tanto que me calou, nem pude reagir!?

As dores tem um potencial de “trava”, umas mais fortes e outras menos potentes, porém a dor é sempre dor…

Me deparando com o potencial que esta pequena palavra tem, pude analisar minhas dores e tocando-as pude perceber que em alguns momentos, a dor foi tão grande e profunda que me calei, calei-me por falta de argumentos…

Há momentos que sofremos a fatalidade da dor não bater simplesmente a porta, mas adentrá-la arrombando as estruturas, ela chega rapidamente e como uma visita permanente senta-se no centro de nosso coração, se aloja, se instá-la de forma a desconfortar-nos e fica….

Até que nós corajosamente arranquemos de dentro de nós esta visita indesejável e se é visita uma hora tem que ir embora e saiba com nossa ajuda cedo ou tarde ela irá…

Não se pode curtir a dor, as perdas fazem parte da vida, mas permanecer na dor é desacreditar do amor, é minar o significado da vida…

Portanto quando estou passando por algum momento de dores intensas, as vivo, choro, me dou este tempo… É importantíssimo que tenhamos este tempo de descarregar, lavar o cano de nosso interior com nossas lagrimas, até que chegue a hora que decidimos fechar a torneira, a dor e seus motivos para doer permanecem ali, não irão embora sozinhas, é preciso não somente mostrar-lhe a porta é preciso empurrá-la para fora…

Falar da dor ajuda, mas as vezes falamos tanto de forma negativa que a tornamos forte e potente…

Chegou o dia, esta é a hora coloque a visita inoportuna para correr e tranque a porta, reforce-a com amor, cuidados de si e uma boa dose de coragem, ela é muito persistente tentará voltar e quem sabe ficará por muito tempo do lado de fora da porta, mas somente você terá a capacidade de deixá-la ou não entrar…

Não falo aqui da dor física simplesmente, esta também tem dia para chegar e para ir embora, esta requer também cuidados para que não volte… Mas falo aqui da dor da alma, de feridas causadas no interior que muitas vezes quem causa não tem a percepção do outro, nem sempre feri conscientemente…

Mandar a dor embora não se trata de mero perdão, é preciso sim perdoar, liberar o perdão é não manter quem nos feriu cativo dentro de nós, porém há dores que estão além do perdão e nem sempre o liberar o perdão a arrancará, então é preciso liberar o perdão a quem nos feriu e mandar a dor ir embora…

quadro_mulher_e_flores33[1]Mesmo que sua alma sinta hoje as feridas causas por dores e perdas, coloque os olhos do positivismo e veja que em cada dor o jardineiro da alma plantou a arvore da superação e a regou com doses de amor, porque é somente ele quem cura…

Não se deixe paralisar, arranque hoje com raiz e tudo o que te impede de caminhar, abra as janelas deixe o sol entrar e caminhe rumo ao novo, porque todo fim é um começo…

Não fique esperando que alguém venha fazer florir sua alma, ao contrário dê hoje uma boa limpeza arrancando dela o que não a deixa florir e alimente o que gera vida…

Anúncios

Read Full Post »

no desertoTornou-se normalidade nos dias de hoje a dependência de emoções…

Se vamos a uma festa e não damos boas gargalhadas até alcançarmos a euforia, logo dizemos que a festa não foi boa…

Se a paixão que tira o fôlego, amadureceu e tornou-se amor, ao invés de percebermos a beleza dessa passagem, ficamos com o negativo, as ausências de emoções…

Se uma noiva ao dizer o seu sim no altar não demonstrar voz tremula e não deixa vir as lágrimas, desacreditamos de sua verdade…

Se contamos a alguém sobre um novo projeto ou conquista e este alguém não vibra conosco, sentimo-nos rejeitados…

Mas por que será que estamos sempre em busca de emoções… De sentidos para nossos sentimentos?

Porque somos da geração fast food, da geração 24 horas, da geração faça, que eu pago!!!

A geração que não caminha mais em praça publica, porque é melhor uma esteira elétrica, geração que não senti o vento no rosto, porque acostumou-se com ar condicionado, a geração que não levanta o bumbum do sofá porque há controle na mão…

Geração BBB, que quando alguém não agrada simplesmente eliminamos, geração que não sabe o que quer e por isso experimenta de tudo um pouco, para ver se alcança um estase nem que seja por alguns segundos…

Geração que não dorme no silencio, tem sempre um fone nos ouvidos com musica, porque teme muitas vezes ouvir a voz da alma, ou quem sabe a voz da própria consciência…

Mas uma geração que corre atrás de seus sonhos, que esta aprendendo a viver em equipe, que esta caminhando para ser resiliente e surpreender, uma geração que se adapta ao novo, uma geração em constante mudança, num eterno adaptar-se… e por isso quebra a cara, mas levanta e caminha…

Não quero de maneira nenhuma ser contraria a praticidade da vida moderna, mas a modernidade não pode nos aprisionar formando um muro para o natural da vida…

Portanto não permita que por falta de emoção sua vida torne-se um deserto e mesmo que em alguns momentos o deserto venha, lembre-se que: a primavera não é a mesma se não passar pelo outono. Como a companhia não será a mesma após um deserto. No seu deserto saia em busca do poço que matará sua sede e não voltará a ter novamente, porque a sede da alma nada mais é do que a inquietude de uma busca pelo o eterno e o eterno, chama-se Amor, e a supremacia do amor chama-se Deus.

Read Full Post »